quinta-feira

atração pelo abismo

Tenho verdadeira atração por filmes ruins. Vi Fúria Sobre Rodas e posso garantir: o filme é impagavelmente ruim. Isso não me impediu de prever que seria o campeão de bilheteria no fim de semana de estreia no Brasil. Como também acredito que o fato de ter estourado a boca do balão não significa que todas as 140 mil pessoas que o assistiram gostaram do que viram na tela.
No Brasil, filmes de ação (sejam bons ou ruins) sempre rendem bilheteria. Conheço gente que sai do cinema reconhecendo que o filme é ruim de doer, mas não se lamenta de ter perdido quase duas horas de seu tempo e ter ficado uns 20 reais mais pobre. Parece que o desafio de suportar bravamente roteiros medíocres, atuações pavorosas e cenários toscos é uma espécie de sacríficio a que é obrigada a se submeter. Como se estivesse pagando algum pecado ou tivesse feito algo inominável na encarnação pregressa.

Vou além na minha análise: ver filme ruim é uma espécie de Nosso Lar (filme também horrível) desse suposto pecador. Ou seja, é aquele pântano que ele tem de chafurdar antes de alcançar o aprimoramento pleno de sua alma. Por desenvolvimento espiritual pleno, entenda-se estar pronto para ver filmes de Bergman, Truffaut, Kurosawa, Nelson Pereira dos Santos.

Sei que o sofrimento é grande, mas se esse é o preço para se estar pronto para receber a iluminação de espíritos cinematográficos de grandeza, acho que vale a pena.

No meu caso, que sonho um dia chegar ao Nosso Bar e não ao Nosso Lar, assistir filme ruim é uma espécie de esporte grotesco, como jogar futebol com bola furada ou rebater bola de tênis com raquete quebrada. É um desafio de superação. Estou testando até onde posso aguentar sem correr risco cerebral grave e permanente.

E Nicolas Cage tem sido um companheiro insuperável. Ela nunca me decepciona: tenho certeza de que o próximo filme dele será sempre o pior.

2 comentários:

  1. Luiz, eu tenho uma categoria que chamo de filmes burros. São aqueles que não exigem mais raciocínio do que saber escolher pipoca salgada e conseguir se sentar na poltrona, equlibrando a dita pipoca e o refri, sem derrubar nada em ninguém. São filmes pra se ver à tarde, esvaziando a cabeça, zerando o Q.I. Tem hora que Profundidade cansa.

    ResponderExcluir
  2. There's shocking news in the sports betting industry.

    It has been said that every bettor needs to see this,

    Watch this now or quit placing bets on sports...

    Sports Cash System - Advanced Sports Betting Software.

    ResponderExcluir

Dê seu pitaco