terça-feira

a volta

Saio bem cedo para o trabalho, na terça-feira pós-feriado da Cidinha, e cruzo no metrô com quem aproveitou os três dias de ócio até o último minuto. Ao contrário de feriados anteriores, ninguém volta com o rosto rosado. Sem sol (apenas alguns raios fugazes conseguiram furar a camada de ozônio e a placa compacta de nuvens escuras)os paulistanos regressaram tão pálidos como eram quando partiram. Sem o sol, que é o que se persegue quando se busca refúgio fora da cidade, o máximo que se encontra são casas e apartamentos abarrotados de gente, uma espécie de embaixada de Honduras, repleta de bigodudos que não nos deixam dormir em paz. E tome jogo de baralho, e tome domingão-do-faustão e tome datena. E tome futebol, jogo do Palmeiras, da Argentina, do Corinthians, com aqueles comentaristas sorridentes. Longe das casas e dos apartamentos sitiados, só mesmo passeios no calçadão da praia e na praça da cidadezinha, onde os bancos estão molhados e a grama crescida. As horas passam lentas e se contam os minutos para o regresso.

6 comentários:

  1. Lindo, literáriamente falando!
    Perfeito sob o aspecto prático!
    Feriadão com tempo ruim, é muito melhor continuar em casa, ainda que seja uma "embaixada brasileira em Honduras" ( maravilha de comparação!!
    Parabéns pelo texto!

    ResponderExcluir
  2. Também acho que é melhor ficar em casa e tentar colocar alguma coisa em ordem. O que também é difícil, porque dá uma preguiça muito grande....

    ResponderExcluir
  3. Luiz

    Banco molhado e grama crescida! Apenas quatro palavras, mas despertaram tantas recordações... Choveu saudades no terreno das minhas lembranças. Caminhei pelo calçadão da memória e o cheiro da grama molhada me fez menina outra vez. Ah, Luiz, bons tempos aqueles em que um banho de chuva lavava também, a nossa alma. Obrigada, por prolongar a alegria dos meus sonhos...

    ResponderExcluir
  4. Rs
    tb adorei seu texto- aliás, sempre impecável- a comparação c Honduras é dez :)
    Aqui,no cond. foi gargalhadas na varanda da vizinha-cedo, antes das 9 hs. Acredita? Mtas sairam. Mas havia cheiro de churrasco- sabe q tomei horror de churrasco- detesto desde o cheiro até...
    Um bjão.
    C'est la vie, mon cher :)

    ResponderExcluir
  5. Adorei o texto! A comparação com Honduras é magistral!

    ResponderExcluir
  6. Meninas,

    Andar de metrô em SP tem uma coisa interessante, porque cruzamos sempre com as pessoas que voltam das festas ou das viagens, enquanto estamos indo para o trabalho.

    Melhor que isso só o metrô do Rio no Carnaval, quando as pessoas fantasiadas viajam nos vagões rumo ao Sambódromo. São os passageiros do delírio.
    beijos

    ResponderExcluir

Dê seu pitaco